Accenture é TOP1 Open Corp do Ranking 100 Open Startups 2018!

Com mais de 100 cases de sucesso com startups e resultados na casa dos 7 dígitos, a Accenture levou para casa, no dia 4 de julho, o troféu de empresa mais engajada no relacionamento com startups. Não é a primeira vez que a consultoria é reconhecida e seus esforços são notoriamente vastos: além de membro do movimento 100 Open Startups, a Accenture também tem sua Garagem Digital no Cubo, onde mantém times inteiros para fazer parcerias e conexões com atores do ecossistema e startups.

Fruto de vantagem competitiva para a empresa, o trabalho com Open Innovation começou, no Brasil, há 4 anos, após um longo período de preparação. Hoje, são 35 países trabalhando este ideal, que já faz parte do DNA da consultoria.

Paulo Vinícius Costa, responsável por Open Innovation para a América Latina, explica que, enquanto consultoria focada em resolver o problema de seus clientes, a Accenture identificou o mercado de startups como fonte de soluções tecnológicas. A partir daí, estruturou-se para descobrir e levar estas startups para os clientes por meio de proximidade diária com a inovação.

Frente ao resultado excepcional, perguntamos a Paulo quais foram os aprendizados da Accenture no último ano. Sua resposta foi dedicação: “Quanto mais nos dedicamos, mais colhemos bons resultados. É assim para todo desafio que temos como empresa, não será diferente para o engajamento com startups”, conta.

Na mesma linha, ele deu dicas para outras empresas conseguirem atingir este patamar: “Tudo que é estratégico em uma empresa como a nossa, exige dedicação, análise crítica e principalmente comprometimento com resultado”. Paulo diz que a participação da empresa e seus colaboradores como um todo deve ser ativa, não apenas reativa. “É preciso manter a agenda sempre aberta para novas startups”, comenta.

Paulo divide também sua perspectiva sobre a importância do entendimento real dos desafios da startup e seu dia-a-dia, acelerar conexões de qualidade e que causem impacto nos negócios. “Se colocar no lugar do empreendedor também é um ponto muito importante”, fala.

Ao receber o prêmio no palco do lançamento do Ranking 100 Open Startups, Guilherme Horn, diretor de inovação LATAM, expôs que a construção deste mérito seria fruto de três elementos:

  1. A área de Open Innovation na Accenture não é um projeto ou um programa de aceleração, ela é algo contínuo, dedicado unicamente a este propósito.
  2. O objetivo dessa área é simplesmente fazer negócio. Não é branding, não é posicionamento, não é rejuvenescer cultura. Todos estes objetivos são legítimos, segundo ele, mas objetivo da Accenture é realmente levar inovação usando as startups para seus clientes.
  3. Esta área é liderada por ex-empreendedores. Ele mesmo fundou mais de 6 empresas, quebrou e foi bem sucedido, e tal experiência é fundamental para o sucesso da área e da empresa como um todo.

Você pode começar agora a se conectar com as startups mais atraentes na opinião do mercado corporativo solicitando seu match em https://openstartups.net/ranking

Confira o pitch completo da Accenture na premiação:

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *