Como funciona a avaliação de startups? (online)

Antes de mais nada, você precisa saber que existem dois tipos de avaliação: Aquela feita no aplicativo de avaliador do 100 Open Startups, e aquela feita em eventos presenciais. Nós as chamamos, respectivamente, de avaliação online e onlive. Nesse post, destrincharemos a lógica por trás da primeira.

Avaliação online

Essa é a tela que um avaliador – seja ele especialista, executivo ou investidor – vê quando aceita avaliar a sua startup:

No menu, os quatro tracinhos são onde ele acessa a proposta completa da statup, com todos os dados que você indicou, e o certinho é onde ele deixa a avaliação efetivamente. Todos os avaliadores têm um máximo de startups com as quais podem dar match sem avaliar, o que significa que após um determinado número eles param de receber novas sugestões enquanto não completarem a avaliação das startups já escolhidas.

Eles então devem indicar uma nota, entre A e D, declarar se estão interessados em continuar conectados àquela solução e, se desejarem, deixar um feedback com sugestões, perguntas, críticas ou elogios.

O significado de cada nota é importante e diz a percepção que ele teve de sua proposta:

A: Solução com alto potencial de impacto dentro do desafio proposto
B: Aparentemente tem potencial de impacto, mas precisa evoluir
C: Não atendem à demanda do Desafio
D: Não demonstram ser negócios viáveis

Por outro lado, o interesse é a métrica realmente utilizada pelo 100 Open Startups na hora de selecionar startups para eventos presenciais, principalmente quando os agrupamos entre as redes de avaliadores diferentes. Nesse caso, “não interessado” não conta pontos, sendo a nota neutra, “interessado” e “muito interessado” acabam sendo virtualmente iguais, contabilizando um interesse, mas sua diferenciação serve como termômetro para o avaliador gerenciar seus matches.

Mas afinal o que tudo isso quer dizer? Como você deve interpretar essas métricas? Nós respondemos: O importante é entender a motivação por trás de cada avaliador.

João pode acreditar que sua startup ainda precisa melhorar o modelo de negócio ou ainda não acertou a melhor forma de resolver determinado desafio, e por isso te deu um D. No entanto, ele acredita no time por trás da empresa e se identifica muito com o problema que estão atacando, e por isso quer continuar em contato com a startup, se interessa por ela.

Por outro lado, temos Maria, que achou simplesmente incrível a ideia e a proposta da sua startup e te deu um A determinado em virtude de tudo que leu. Mas Maria é do departamento de RH, não entende muito ou se envolve nas decisões do setor financeiro – a que a solução é destinada -, e por isso não se interessa em continuar em contato com a startup.

Entender que as duas métricas juntas contam uma história é importante para o empreendedor e pode trazer grandes ensinamentos. Os feedbacks também são uma ótima arma na missão de levar sua startup ao próximo nível. Entenda todas as funcionalidades do app de startups e coloque já em prática a interpretação de suas avaliações!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *