Opinion Box é TOP3 do Ranking 100 Open Startups 2018!

Que Minas Gerais está se provando um grande polo de inovação a gente já sabe, agora precisamos saber tudo sobre a terceira colocada no Ranking 100 Open Startups 2018, a mineira Opinion Box que representa muito bem o desenvolvimento e atratividade da terra do “leite quente”.

A Opinion Box nasceu de uma dor real de mercado: Fazer pesquisa, entender o consumidor, testar hábitos e conceitos sempre foi muito caro e lento, chegando a demorar meses e exigindo muita mão de obra. Com isso, as grandes empresas faziam poucas e caríssimas pesquisas, e as PMEs simplesmente não faziam, o que resultava em produtos e serviços que não refletiam de verdade as necessidades do consumidor.

E como a Opinion Box resolve este dilema? Com uma solução 100% online, multiplataforma, simples, rápida e acessível. As pesquisas são feitas com uma base de mais de 150 mil consumidores qualificados de todo o país em troca de microrrecompensas, com custos a partir de R$4 por entrevista e podem ser entregues em menos de 24 horas. É o único programa que premia o respondente de pesquisa na hora, garantindo o alto engajamento da base. E, para atender às diferentes necessidades das empresas, são dois modelos de serviço: A plataforma SaaS, intuitiva e self-service, e os projetos customizados, que contam com amparo de um time de especialistas.

Não foram poucas as empresas que viram valor nessa solução. Em conversa com o Felipe Schepers, COO e fundador do Opinion Box, alguns cases de sucesso se destacaram nessa relação. A Accenture, TOP1 do Ranking de Open Corps, é uma delas. “O Paulo Costa foi um grande articulador para nós lá dentro. Já geramos muito negócio e ainda temos a possibilidade de gerar mais conforme surgirem demandas”, disse. A Accenture, enquanto consultoria, se conecta a startups como fonte de vantagem competitiva, para solucionar os desafios de seus clientes de forma inovadora.

Outro caso interessante é o da Faber Castell. A Opinion Box já fechou 3 projetos com eles e, em virtude da indicação do ponto de contato, Felipe Varkala, fecharam mais um com outra empresa. “É uma conexão que, pelo fruto da qualidade do nosso trabalho, gerou outras conexões”, conta Felipe. No mercado corporativo, o boca-a-boca é bastante relevante.

Por fim, Felipe compartilhou o caso da indústria Santa Helena: “Nós fizemos diversos projetos, de tipos diferentes e em mais de um departamento”. Este relato mostra como soluções como essa são versáteis por adereçarem mais de um desafio.

Sobre os desafios que a Opinion Box enfrentou no último ano, o COO fala principalmente de adequação de persona e estratégia de vendas. Por terem perfis de clientes muito diferentes entre si, desde PMEs, intitutos de pesquisa, consultorias e grandes empresas, esse alinhamento e revisão de processos internos foi necessário. Além disso, o processo seletivo também precisou mudar para refletir a cultura da startup. “Ao longo do último ano, nós aprendemos muito. Temos crescido em todas as verticais e estamos conseguindo colocar em prática várias ações para continuar a crescer daqui para frente”, disse.

Aproveitando todo esse aprendizado, pedimos dicas para outras startups conseguirem conquistar uma posição no Ranking. Felipe diz que, embora a Opinion Box participe de diversos outros programas, eles escolheram realmente se dedicar nas participações em eventos do 100 Open Startups. “É preciso realmente fazer a lição de casa, ir atrás das empresas com quem conversou, arredondar briefing, gerar projeto ou piloto para mais tarde virar contrato pago”, sugere. A estratégia usada por eles é de ter a “cara de pau” para fazer o máximo de conexões possível, mesmo com empresas que, a princípio, não pareçam ter muita sinergia com a solução. “Viu que tem uma oportunidade? Mantenha contato, mantenha um fluxo constante de relacionamento, pergunte sempre sobre as necessidades e demandas da empresa”, é sua orientação para se manter lembrado, cravar a startup na mente do executivo.

 

Veja o pitch da Opinion Box durante o evento de lançamento do Ranking 100 Open Startups na íntegra:

Sobre a experiência de participar do programa 100 Open Startups, Felipe foi enfático: “Sou fã. É uma iniciativa realmente diferenciada, baseada em resultado e não na simples percepção de alguém. São programas como esse que conseguem fazer cada vez mais startups terem oportunidade de crescimento e cada vez mais empresas abrirem a mentalidade para encaixar inovação nos seus negócios e otimizar seus processos”.

Solicite seu match com a Opinion Box na plataforma 100 Open Startups e saiba mais sobre a terceira startup mais atraente na opinião do mercado corporativo: https://openstartups.net/ranking

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *