Tudo sobre: Fintechs

Cada vez mais os serviços financeiros deixam de ser uma exclusividade dos grandes bancos tradicionais, especialmente quando a hegemonia é quebrada por startups usand tecnologia para deixá-los mais eficientes, rápidos e menos burocráticos.

Mapeamos em conjunto com mais de 30 grandes empresas os gaps dos setor que startups podem ajudar a resolver.

Oportunidades para startups:

  • Novos meios de pagamentos: pagamentos contactless (NFC, bluetooth, wearables)
  • Gestão patrimonial; internacionalização de recursos
  • Soluções para empréstimos bancários; novos modelos e plataformas para fomento e acesso de crowdfunding e microcrédito
  • Inclusão financeira
  • Blockchain
  • Vertical Banks
  • FX e Trading
  • Análise de riscos; computação cognitiva para análise de crédito, recomendação de investimentos, etc.
  • Soluções em APIs
  • Soluções em Internet of Things
  • Novos serviços e modelos de negócios em seguros
  • Novas Ferramentas analíticas
  • Segurança a informação
  • Detecção de fraudes e AML: plataformas de reconhecimento de fraude (algoritmos e modelos matemáticos); soluções voltadas para verificação de identidades; sistemas biométricos
  • Aplicações de Big Data
  • Exploração de canais digitais

No Brasil, a regulamentação tem inclusive jogado a favor do sucesso das chamadas fintechs. Em 2013, o Banco Central deu segurança jurídica para as fintechs em operação, ao mesmo tempo que conservou uma zona de flexibilidade para as novas empresas ao estipular limites mínimos de volumes de transações —somente quando esses são ultrapassados, as statups passam a ter que atender as exigências do BC. Além disso, em abril deste ano, o Conselho Monetário Nacional regulamentou as empresas que operam na área de crédito. A principal mudança nesse caso foi a eliminação da necessidade de atuar em parceria com uma instituição financeira tradicional.

Tamanhas mudanças no mercado propiciaram o surgimento de mais startups no setor. Prova disso foi o salto no número de projetos cadastrados, que passou de 124 há um ano para 334 em maio de 2018, um crescimento de mais de 2,5x.

Dentre as startups do movimento 100 Open Startups, a curitibana Pipefy se destaca pelo alinhamento com este setor em especial, sendo uma plataforma de gerenciamento de processos que promete agilizar aprovações e a tomada de decisão financeira de forma segura. A Neon Pagamentos é outro exemplo, uma conta corrente sem agência, papelada ou taxas abusivas, que inclusive fechou parceria com o Banco Votorantim.

E você, tem uma startup que resolve desafios do setor financeiro? Inscreva sua solução no 100 Open Startups e comece já a fazer negócios com grandes empresas.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *