Seminários para pesquisadores de inovação aberta

O parque de inovação Creapolis, localizado em Barcelona, foi o marco de um evento inédito, organizado pela escola de negócios Esade, que reuniu, em janeiro deste ano, cerca de 30 alunos de PhD para discutir os caminhos da pesquisa em inovação aberta, conduzidos pelos professores Henry Chesbrough e Win Vanhaverbeke.

“No curso pudemos confirmar que a inovação aberta abre um horizonte de pesquisa bastante amplo, com oportunidades para pesquisadores de diferentes linhas de pesquisa”, diz o diretor do Centro de Open Innovation – Brasil, Bruno Rondani, o único dos participantes proveniente de fora da Europa. “As diversas procedências dos doutorandos – Rússia, Suécia, Finlândia, Alemanha, França, Espanha, Holanda, Países Bálticos, Reino Unido, Portugal – e a presença de Chesbrough e Vanhaberveke, líderes nos Estados Unidos e na Europa, respectivamente, enriqueceram muito o encontro“, comenta Rondani.

Sobre os horizontes de pesquisa, outro participante do evento, o estudante de doutorado da Escola de Economia e Negócios de Viena (WU Wien), Alexander Schroll, diz em seu post sobre o seminário que a grande maioria dos estudos atuais em open innovation tem como unidade de análise a empresa, enquanto o indivíduo, as redes inter-organizacionais e os sistemas regionais e nacionais de inovação são pouco abordados. Schroll também comenta a escassez de pesquisas que conectam o paradigma da inovação aberta com outras teorias.

Ecossistema de inovação
“O local do curso foi inspirador”, comenta Rondani. A Creapolis, fundada pela Esade em 2005 e inaugurada no fim do ano passado, se define como “parque internacional de inovação para praticar open e cross innovation”. Mais de 40 empresas estão instaladas no espaço junto a algumas unidades da escola de negócios. O ambiente gerado pelo convívio de empresas e estudantes de administração ganhou a aprovação de Henry Chesbrough, professor visitante da Esade desde fevereiro deste ano.

Versão brasileira do curso
“Pretendemos organizar através do Centro de Open Innovation um evento similar em 2011, também com a presença do nosso chairman Henry Chesbrough”, anuncia Bruno Rondani. O centro já mapeou quatorze pesquisas de mestrado e doutorado em curso sobre temas relacionados à inovação aberta. “Estamos conversando com as universidades e escolas de negócio para viabilizar o encontro”, completa o diretor do centro.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *