Sociedade bem planejada

Startups selecionadas pelo Buscapé no desafio “Sua Ideia Vale 1 Milhão” não se surpreenderam com a escolha; sinergia entre os negócios e clareza de objetivos são uma constante entre elas.

Se uma palavra pudesse definir o modo como as empresas vencedoras do concurso Sua Ideia Vale 1 Milhão encaram a conquista, o termo seria sinergia. Repetido diversas vezes por cada um dos empreendedores, o vocábulo traduz o que pensam sobre a semelhança e complementariedade entre os próprios negócios e a atuação do Buscapé, realizador da ação.


Empreendedores comemoram a conquista do desafio “Sua Ideia Vale 1 Milhão” lançado pelo Buscapé.

Criador do serviço de busca de produtos e pesquisa de preços que recebe mais de 60 milhões de visitas diárias, o Buscapé procurou nas startups um meio de diversificar os negócios do grupo. Para isso, convocou jovens empreendedores a apresentarem ideias na área de e-commerce – mais especificamente social commerce e mobile commerce – com a proposta tentadora de sociedade e aporte inicial de R$ 300 mil. De 800 projetos inscritos, quatro foram selecionados: Anuncie Lá, Meu Carrinho, Hotmart e Urbanizo.

Para o sócio-fundador do Anuncie Lá – mercado virtual integrado com as redes sociais que permite conhecer o perfil de compradores e vendedores sem intermediação –, Renato Mangini, a sinergia com o Buscapé está no produto, e as semelhanças permitirão uma série de compartilhamentos técnicos e estratégicos. André Nazareth, um dos sócios do Meu Carrinho – aplicativo para celular que mostra ao consumidor qual supermercado oferece o melhor preço para a lista de compras – tem a mesma convicção: “desde que começamos, brincávamos que fazíamos algo que o Buscapé poderia fazer. Foi justamente quando estávamos precisando de investimento que surgiu a oportunidade de participar. A sinergia entre os negócios contou muito”.

No caso do Hotmart – plataforma para venda de conteúdo digital, como e-books – seu cofundador, João Pedro Resende, considera que a sinergia está na estratégia de trabalho. Resende acredita que os avaliadores do Buscapé encontraram no Hotmart características que buscam nos próprios negócios: “ninguém compra ideias, compra resultados; por isso o Buscapé avaliou, além de nossa proposta, a equipe e a capacidade de execução”.

Não é por ainda serem startups que os selecionados sejam iniciantes. Todos já têm planos bem estruturados para seus negócios e testaram os produtos no mercado. Desde o início do processo de seleção, sabiam que tinham boas chances com o Buscapé, devido a tal sinergia. Entraram bem preparados para a empreitada e deram passos estratégicos. Além de apresentarem ideias que complementam a área de atuação do Buscapé, os empreendedores têm em comum a clareza sobre o próprio negócio. Sabem bem quanto e como podem crescer. Por isso, afirmam que procuraram no Buscapé o papel de parceiro com capacidade de contribuir para o negócio em diversas etapas.

O Urbanizo se distingue entre os modelos de e-commerce selecionados. Trata-se de um modelo de precificação do metro quadrado urbano para facilitar a tomada de decisão de compra e venda, que atua como um avaliador, consultor e gerenciador do mercado urbano. Marcos Roberto, sócio da empresa, acredita que o Buscapé buscou no Urbanizo a oportunidade de investir em uma área que ainda não explora e cresce ininterruptamente no Brasil. Ele conta que ainda está avaliando os detalhes de uma possível sociedade, mas admite que a empresa seria uma grande parceira. “O Buscapé faz parte do grupo Naspers, que é dona de muita coisa e representa uma porta de entrada para o mundo. Sem contar a experiência do Buscapé especificamente, que é fantástica, e o potencial que tem para ajudar a escalar”, avalia.

Renato Mangini, do Anuncie Lá, encara o Buscapé não só como investidor, mas como sócio ativo. O aporte de R$ 300 mil não é o único atrativo. “Quando começamos a empresa, conseguimos um recurso da Finep pelo Prime que nos ajudou a desenvolver o produto. Agora, precisamos novamente de investimento, mas o valor financeiro é até baixo se considerarmos que já temos o produto pronto”, afirma. “O benefício de nos juntarmos ao Buscapé vai muito além. Temos tido conversas muito boas com nosso tutor lá dentro e delas surgem ideias e sugestões excelentes que abrem novas oportunidades”.

João Pedro, do Hotmart, concorda: “esse conhecimento que eles acumularam em anos de mercado nos dá uma segurança muito grande, além de termos acesso a um apoio operacional e estratégico”. Nazareth, do Meu Carrinho, diz que a primeira fase da sociedade se destacado por um intenso processo de mentoring. “Estamos nos sentindo como em uma aceleradora. Não é dinheiro que o Buscapé está investindo, mas todo seu know how, pois é interesse também deles que nosso negócio dê certo”, acredita.

O Buscapé tem consciência da relevância e do potencial de cada um desses negócios. Não foi à toa que, em vez de selecionar um sócio, como pretendiam no início do programa, escolheram quatro. “A partir do momento em que passamos a ter participação nessas empresas, precisamos apoiá-las para que cresçam, se tornem líderes em seus segmentos e se integrem na plataforma Buscapé. Criamos o programa para dar escalabilidade ao nosso negócio”, afirma o presidente Romero Rodrigues.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *