3 em 1: Faz sentido falar de políticas públicas para fomentar a inovação aberta?

 Wim Vanhaverbeke
Professor
Hasselt University – Bélgica

“A resposta curta é sim. As práticas de inovação aberta em uma economia podem ser incentivadas ou desaceleradas em decorrência de medidas de política pública. A inovação aberta depende muito da disponibilidade de conhecimento externo que as empresas assimilam e integram em seus negócios. Porém, o conjunto de conhecimentos e sua disponibilidade não são o suficiente. A inovação é o resultado de numerosas – e frequentemente desconexas – políticas públicas relativas a ciência, tecnologia, propriedade intelectual e educação. É preciso se perguntar como governos podem construir políticas de apoio à inovação em um mundo de conhecimentos dispersos, trabalhadores móveis e capital de risco abundante”.

 Anderson Rossi 
Professor e pesquisador do Núcleo Bradesco de Inovação
Fundação Dom Cabral

“Toda forma de fomento é bem-vinda, sempre. Considerando que o futuro é ancorado nas práticas de inovação aberta, faz todo sentido pensar em políticas públicas que promovam a interação entre todos os atores do sistema, como as universidades e as empresas, por exemplo. O conceito de inovação aberta, bem como a legislação que engloba o tema, é bem recente. Hoje, não existem políticas que tratem do tema exclusivamente, o que acaba deixando a desejar. É fundamental que essas políticas sejam implementadas para que o Brasil possa pavimentar o futuro que quer e precisa para crescer”.

 Glauco Arbix
Presidente
Financiadora de Estudos e Projetos (FINEP)

“Faz sentido sim. O Brasil tem um grande desafio pela frente, de fortalecer as redes de inovação de modo a gerar impactos sistêmicos na economia. A inovação aberta é uma das formas de estimular esse fortalecimento. Da mesma forma, a inovação aberta suscita diversas discussões sobre propriedade industrial, modelos de negócios e outros temas associados, estimulando assim a inserção do tema “inovação” no cerne das atividades econômicas em diversos setores”.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *