Editais da Fapesb estimulam cooperação entre empresas

Primeira chamada para inovação aberta foi realizada em 2010; dois anos depois, com a proposta amadurecida, agência lançará nova chamada em abril

Da necessidade de crescimento da indústria local, surgiram na Fundação de Amparo à Pesquisa da Bahia (Fapesb) iniciativas para estimular que as empresas cooperassem mutuamente em prol da inovação. Desde 2010, o Programa de Apoio à Pesquisa na Empresa – Bahia Inovação cria mecanismos para melhorar a competitividade do estado.

O diretor de inovação da Fapesb, Alzir Antonio Mahl, explica que a agência vem atentando para a inovação aberta como uma estratégia para o crescimento com resultados de longo prazo. Para ele, é um caminho definitivo: “o estímulo para as empresas baseado no modelo de inovação aberta é algo que veio para ficar, envolve o estabelecimento de know-how para as empresas baianas e incentiva a melhoria da competitividade”. Além das parcerias entre universidade e empresas, a agência percebeu a necessidade de alavancar também os acordos entre empresas diferentes e de empresas com ICTs.

Há dois anos, a agência lançou os dois primeiros editais com esse objetivo.  Apesar da forte expectativa em relação à iniciativa, foi baixa a adesão aos editais de 2010. “A avaliação que a Fapesb fez foi de que eram formas novas de apoio e, nesse caso, desconhecidas pelas organizações empresariais”, diz Mahl. Mas o gestor admite outros motivos: “houve pouco tempo para o preenchimento das propostas, o que dificultou a realização de uma parceria consistente; a pouca cultura inovadora das empresas baianas inibiu o contato com empresas de outros estados para esse tipo de parceria e a parceria entre empresas e ICT´s; também há a fragilidade das parcerias entre empresas e ICT´s e uma certa imaturidade da Fapesb em lidar com esse novo formato de apoio”.

Para ele, a primeira experiência foi um aprendizado que sinalizou para o muito que esse ambiente pode e precisa ser estimulado.A Fapesb vem amadurecendo a ideia e se preparando para uma fase de consolidação de sua proposta para estímulo à inovação aberta. Mahl explica que o número reduzido não significa que o programa não esteja dando certo – pelo contrário: nove projetos estão em andamento contratados pelo Edital de Apoio à Cooperação entre Empresas/ICTs e um pelo Edital de Apoio à Inovação Aberta. “No contato com as empresas apoiadas, foi possível constatar que esse formato está conseguindo abrir portas e mercados, visto que o aval da Fapesb no apoio a projetos dá credibilidade às empresas apoiadas”, diz Mahl.

Em abril deste ano, a agência deve abrir outros dois editais, sendo um de apoio à parceria entre empresas e outro de cooperação entre empresas e ICTs. Eles trarão ajustes relativos principalmente a questões como o formato das contratações e adequações das áreas de pesquisa, tempo de execução dos projetos e prazo para preenchimento das propostas.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *