3 em 1: Como a sua organização trabalha inovação aberta com pequenas empresas?

 Ake Albertsson
Vice-presidente da
Saab no Brasil

“A Saab possui um empreendimento corporativo com foco em investimentos spin-in e spin-out, a Saab Ventures. Nos investimentos spin-in, a Saab Venture toma posições minoritárias em empreendimentos inovadores e de rápido crescimento, de forma a apoiar a estratégia geral da Saab. Já nos investimentos spin-off, a Saab Venture cria valor para os acionistas ao dividir a tecnologia da Saab com mercados secundários. A Saab Venture tem um comitê de investimentos à parte, cujos membros, tanto para investimentos internos quanto externos, têm experiência relevante em capital de risco, e um mandato de investimentos que permite investimentos até um determinado montante. A empresa também tem um processo de decisão diferente do processo de decisão tradicional, que a permite tomar e implementar decisões em tempo hábil”.

 Ronald Martin Dauscha 
Diretor de Tecnologia e Inovação da
Siemens

“A Siemens tem o programa News Ventures, que acontece uma vez por ano. O tema deste ano é Biocombustíveis e Energia. Com isso, detectamos empresas ou planos de negócios no Brasil que tenham alguma tecnologia relacionada. Nós partimos de um universo de 100 empresas para chegar a 10, realizamos um fórum, olhamos o case, damos suporte a elas e nos tornamos acionistas dessas empresas. Também investimos em tecnologia interna que não é mais utilizada pela Siemens, às vezes um subproduto é desenvolvido para criar um final, e com isso investimos nesse negócio fora da empresa. Gostamos de investir em pequenas empresas inovadoras porque muitas vezes nós definimos um cenário para o futuro e essas empresas fazem o futuro acontecer. Um ganho desse processo é encontrar empresas que já estejam pensando no futuro que pensamos. A Siemens investe em empresas inovadoras há cinco anos”.

 André Saito
Diretor
Centro de Open Innovation – Brasil

“O Centro de Open Innovation está atento à atuação das pequenas e médias empresas. Temos uma plataforma para gestão da inovação aberta que se mostrou eficaz para empresas maiores e estamos disponibilizando para pequenas empresas por meio de parceria com organizações de apoio a essas instituições. Através dessa plataforma, elas convocam fornecedores, clientes e outros parceiros a participarem das etapas de ideação, desenvolvimento e execução, chegando a inovações cocriadas. Além disso, para o Open Innovation Seminar 2012, em novembro, estamos criando arenas em que grandes empresas conduzirão workshops de inovação aberta buscando parceria com empresas menores. Entre as propostas em estudo, estão iniciativas para os setores de alimentos, cosméticos e saúde. Alguns exemplos são discussões sobre como participantes do setor de saúde podem reduzir custos de forma sistêmica, a aceleração do processo de desenvolvimento de soluções comerciais a partir de pesquisa acadêmica e o envolvimento de participantes da cadeia de valor no desenvolvimento de inovações em embalagens. Acreditamos que as pequenas e médias empresas podem encontrar boas oportunidades nessas frentes”.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *