Modelo de arenas mostra potencial para criação de parcerias duradouras

Na última edição do Open Innovation Seminar, em novembro de 2012, foram realizadas dez arenas de inovação aberta. Consolidadas como modelo de cooperação em outros países, elas foram o passo inicial para o estabelecimento de uma nova forma de cooperação no Brasil. Algumas delas já mostram desdobramentos importantes.

Com proposta ambiciosa, a arena Ciência sem Fronteiras, por exemplo, tinha como objetivo buscar modelos mais efetivos para envolver a iniciativa privada no programa do Governo Federal de internacionalização da ciência e da inovação. O Centro de Inovação Sueco Brasileiro e a Saab foram as primeiras organizações parceiras do centro a criar uma plataforma de colaboração entre pesquisadores brasileiros e suecos para gerar sinergia e aprimorar os projetos de pesquisa submetidos à seleção do programa. Neste ano, o Wenovate vem estabelecendo um diálogo direto com o CNPq para ampliar esse modelo, melhorando o alcance e o aproveitamento das bolsas.

“O CNPq tem recursos para criar um número suficiente de bolsas, além das que estão sendo ofertadas pelas empresas. Nosso desafio agora não é criar mais vagas, mas sim preencher as existentes”, afirma o coordenador das ações nacionais do CNPq, Emerson Willer. Segundo ele, o volume de candidatos que chegam a ter acesso às bolsas de pós-graduação é decepcionante. “O apoio do Wenovate pode ser muito importante para conseguirmos buscar os profissionais adequados para as vagas e mobilizar as empresas para apoiarem o programa – não no patrocínio de novas bolsas, mas no apoio a essas plataformas de colaboração, na procura de estágios práticos no exterior e no aproveitamento dos profissionais que retornam do intercâmbio”.

 

Encontro Acadêmico

Uma das novidades do ano passado foi a realização do primeiro Encontro Acadêmico de Inovação Aberta. Pesquisadores de universidades brasileiras e do exterior se reuniram para apresentar suas linhas de trabalho e criar conexões capazes de gerar parcerias. Uma delas começa a se materializar. A Capes acaba de aprovar um projeto de cooperação científica, que envolve pesquisadores da Universidade de São Paulo e a Universidade de Lindkoping. Ainda é preciso aguardar a confirmação da STINT, organização sueca envolvida na parceria, o que deve ocorrer em breve.

Outra parceria que está sendo encaminhada é entre a Universidade Federal de Itajubá e a Universidade de Berkeley. A Unifei aprovou junto ao CNPq um projeto que busca entender qual é o modelo de inovação aberta praticado nas empresas brasileiras. Liderado pelo pesquisador de Engenharia de Produção, Carlos Mello o projeto inclui a participação de doutorandos, que devem realizar suas pesquisas por meio de doutorado sanduíche. Um deles será realizado em co-orientação do professor Henry Chesbrough.

 

Natura Campus

No último OIS, uma das arenas foi realizada pela Natura, que se beneficiou do ambiente de troca de conhecimento e colaboração para promover um encontro com sua rede de parceiros e realizar a premiação do Natura Campus, programa que visa fomentar a inovação por meio de redes colaborativas. Neste mês, a empresa divulgou o resultado da nova edição do programa. Sete projetos de inovação aberta foram contemplados.

A chamada de projetos foi lançada em 2012 por meio de dois editais: Edital Amazônia, lançado junto com a inauguração do Núcleo de Inovação Natura Amazônia, sede que a empresa de cosméticos mantém em Manaus, e Edital Ciência, Tecnologia e Inovação. O investimento total previsto é de aproximadamente R$ 6 milhões em toda a Chamada de Projetos Natura Campus.

Foram visitadas 29 instituições – entre elas, universidades e hospitais – com a participação de mais de mil pessoas. Depois de avaliadas por gestores e pesquisadores da área de inovação da Natura sobre alinhamento estratégico e o mérito técnico, as propostas finalistas foram selecionadas para uma etapa de imersão na Natura e colaboração direta com pesquisadores da empresa. O programa recebeu propostas de 94 organizações. Dessas, houve 24 finalistas e 13 propostas foram aprovadas para os dois editais.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *