Confira 6 características que todo líder em open innovation deve ter

Ao falar de open innovation dentro das organizações, sejam elas startups ou corporações, é importante ressaltar o papel de toda equipe na consolidação das estratégias dessa prática. Afinal, a open innovation é de responsabilidade de todos e deve ser tratada, também, como uma questão de relacionamento e cultura. 

Mesmo nesse contexto, os líderes possuem um papel de extrema relevância na consolidação das estratégias e dos caminhos ligados ao desenvolvimento do ecossistema de inovação. Assim, um bom líder, focado no crescimento e no relacionamento, precisa desenvolver características específicas para que as estratégias de open innovation deem certo.

Características de líderes que trabalham com open innovation

Separamos seis características essenciais que todos os líderes em open innovation devem ter. Confira: 

1- Perfil questionador

Apenas quem mergulha no mar consegue, de fato, enxergar o tamanho real do iceberg. Ser inconformado com perspectivas superficiais e entrar de cabeça nos problemas, buscando os reais porquês, é o que ajuda, também, no desenvolvimento de soluções que sejam realmente eficazes. Ou seja, é necessário que o líder tenha uma visão analítica sobre tudo e todos que estão envolvidos na construção da open innovation. 

2 – Capacidade de adaptação

Nem tudo sai como planejado, e inovar é não ter medo de errar e se adaptar. É necessário resiliência para aceitar os erros de percurso e aprender com eles. Afinal, os negócios dão mais certo quando as pessoas são resilientes e querem coconstruir, como apontou José Renato Hopf, fundador da GetNet e da 4All, na edição de junho da 13ª Oiweek.

3 –  Incentivador da mudança 

Não basta uma formação de liderança em open innovation. É necessário garantir a capacidade de inovar para toda a empresa. Para isso, os líderes em open innovation devem incentivar, em todo o time, a mentalidade de inovação. Aqui, o fator da cultura empresarial ganha grande destaque, já que times engajados contribuem mais. Todos devem falar a língua da open innovation!

4 – Tolerante a erros 

Nos primeiros passos, ter margem para errar e aprimorar é essencial. É de extrema importância aprender com os erros iniciais, pois é a partir disso que processos e projetos maduros serão criados e estarão prontos para investimentos mais seguros e execução efetiva. É importante enxergar os erros como motivos a mais para construir a open innovation, já que esse é um assunto relativamente novo, em que a comunicação entre as partes é motor para o crescimento. 

Dica especial: Desenvolva a cultura da hiperconectividade. Troque informações, faça networking, aproveite para conhecer os erros e soluções de outras pessoas. Já que open innovation é sobre criar redes, cocriar. 

5 – Perfil sinérgico e agregador 

Quando falamos em open innovation, falamos, sobretudo, de cocriação. Para isso, é muito importante que as lideranças de todas as áreas da empresa estejam engajadas e em sinergia, conversando entre si. Mais uma vez, reforçamos que resiliência é chave para construção de bons relacionamentos. 

6 – Pensar grande, mas fazer pequeno 

É mais importante ter um líder com coragem para conseguir desenhar algo pequeno, a princípio, e ir construindo e aperfeiçoando a partir dos aprendizados, do que um líder que investe tempo e energia para construir um universo inteiro que poderá se tornar obsoleto num futuro próximo. Enxergar onde você está e relembrar de fazer uma análise crítica de todo o processo é essencial.

Quer se aprofundar no universo da open innovation e das startups? Conheça e faça parte do Programa 100-10-1 Startups: 100os.net/100-10-1.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *