Tudo sobre: Energia

O desenvolvimento humano sempre esteve ligado a fontes de energia. As matrizes energéticas mudavam e eram aprimoradas nas revoluções industriais e urbanas. Fomos da lenha ao carvão, e do carvão ao petróleo. Porém, nas últimas décadas, por causa da grande carga poluidora do petróleo e seus derivados, vimos uma crescente preocupação girando em torno das questões energéticas.

A iminência de um aquecimento global e da destruição do meio ambiente em busca desses componentes combustíveis, vista a dependência humana, foram o alerta para que um esforço global começasse e a procura de novas fontes de energia, limpas e renováveis, surgissem. Também procuram-se soluções para  a descoberta de campos de exploração em águas profundas e outras zonas de difícil extração tem aportado novos desafios.

Por outro lado, a expansão das energias renováveis pelo mundo representa uma nova era no setor energético. A integração das energias renováveis não convencionais nos parques geradores – as fontes intermitentes, como solar e eólica -, seu armazenamento e distribuição em smartgrids são alguns dos exemplos que podem impactar significativamente a produção, distribuição e o consumo da energia no país.

Desafios

Conversamos com quase 290 grandes empresas que em conjunto mapearam os gaps do setor que as startups podem ajudar a solucionar:

  • Tecnologias para aumento da produção de petróleo e competitividade no mercado;
  • Novos sistemas para gestão, avaliação e minimização de impactos ambientais (biota e qualidade da água) e na sociedade;
  • Soluções para melhoria na infraestrutura da cadeia (ex: logística, modernização de refinarias);
  • Tecnologias para novas fronteiras exploratórias, recuperação avançada de óleo e operação em águas ultra profundas;
  • Soluções para maior qualificação profissional com foco em engenharia, geologia e áreas afins;
  • Soluções e equipamentos para maior proteção dos trabalhadores;
  • Novas metodologias para validação / testes de materiais em altas profundidades (ex: proteção contra corrosão);
  • Tecnologias para captura, separação e injeção de CO2, gerenciamento e injeção de água e eficiência energética;
  • HPC (computação de alta performance) com o desenvolvimento de sensores, simuladores, algoritmos e outros. (Ex: novos softwares que representem melhor o comportamento de rochas quando fluindo o óleo e o gás e que permitam conhecer os efeitos sobre os reservatórios quando da injeção de gases contaminantes como CO2 e SO4 e água);
  • Sistemas em subsea factory de modo que as operações em plataforma sejam transferidas para o fundo do mar;
  • Novos sistemas e equipamentos de segurança de fluxo (flow assurance) para aumento do conhecimento, predição e garantia da produção submarina;
  • Tecnologias de associação do petróleo com biocombustíveis
  • Substitutos para o petróleo (etanol, biodiesel, biobutanol, éter dimetílico, carvão-para-líquidos, areias betuminosas, xisto betuminoso), a partir de biomassa e fósseis matérias-primas;
  • Alternativas para a geração de energia elétrica, incluindo tecnologias de armazenamento de energia (eólica, energia solar fotovoltaica, solar térmica, das marés, biomassa, células de combustível, baterias).
  • Soluções para a geração, armazenamento e consumo de energia em pequena escala (ex: painéis fotovoltaicos, microturbinas ou células de combustível)
  • Soluções para o mercado de energia (atacado, varejo e comércio): balanceamento de oferta e demanda de energia e, portanto, coleta e envio de informações de oferta e demanda aos domínios de geração, provedores de serviços e operação da rede elétrica inteligente
  • Soluções de TIC para atender a gestão de energia, metodologias de medição; segurança operacional e impactos na qualidade de energia em ambiente de Micro-redes, Smart-Grid
  • Soluções de comunicação entre concessionárias e consumidores sobre informações de medições, controle e operação da rede elétrica.

Dados 100OS

Três quartos das startups dizem já estar legalmente estabelecidas, e 86% dos empreendedores se dedicam exclusivamente a seus negócios. Eles são em maioria homens e 67% deles tem idades entre 25 e 50 anos de idade.

Embora o Brasil lidere nossos números sobre startups ativas no segmento, Bogotá, na Colômbia, desponta como um polo de inovação no assunto, com mais de 70 startups ativas na plataforma 100 Open Startups, evidenciando o teor global da procura de soluções.

Confira o TOP10 Educação do Ranking 100 Open Startups 2018

1º PROSUMIR Aproveitamento Energético
2º CUBi Energia
3º COSOL
4º Beenergy
5º SUNEW
6º FOHAT
7º Soluz Energia
8º SolarView (AWC Tecnologia)
9º Newatt
10º SHARENERGY

E você, tem uma startup que resolve desafios da Energia? Inscreva sua solução no 100 Open Startups e comece já a fazer negócios com grandes empresas.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *