O que é uma Incubadora?

      Você tem uma ideia. Começa a desenvolvê-la, trabalha duro, mas em algum momento faltam recursos, validações e as vezes até um espaço para fazer sua ideia crescer definitivamente. Esse é o caminho que muitos empreendedores enfrentam no processo entre ter uma ideia e tirá-la do papel.

     Foi pensando nisso que surgiram as incubadoras.

      No vocabulário médico, uma incubadora é um local onde um bebê com dificuldades de crescimento vai receber suporte para conseguir se desenvolver no seu momento de maior fragilidade. O empreendedorismo emprestou o conceito e criou ambientes onde empreendedores com novas ideias, ainda em estágio inicial, dispõe de infraestrutura física e prático-teórica para pegar uma ideia e levá-la até um primeiro modelo de produto ou serviço.

      As universidades são ambiente fértil para esse crescimento uma vez que as startups tem a oportunidade de conviver diariamente com pesquisadores, professores e mestres para consulta e desenvolvimento de suas ideias, além de contar com laboratórios e espaços físicos para aprimorar a primeira versão do seu negócio. A maioria das incubadoras brasileiras estão atreladas à universidades públicas ou privadas.

     As incubadoras oferecem suporte técnico, gerencial e formação complementar ao empreendedor e facilitam o processo de inovação e acesso a novas tecnologias nos pequenos negócios. Além disso, oferecem desde internet até salas de reuniões, acervo bibliográfico, auditórios e espaços para expor seu negócio.

    Dentre os focos dados a esses novos empreendimentos enquanto são incubados, podemos dar destaque a gestão empresarial, marketing, engenharia de produção, contabilidade, assistência jurídica, captação de recursos e gestão de tecnologia.

Pesquisas apontam que a taxa de mortalidade de um negócio que passa por uma incubadora é reduzida em 20% em relação àquelas que não passam.

     Qualquer pessoa que tenha um projeto inovador e deseja abrir sua própria empresa pode se aplicar para uma incubadora. Os critérios de seleção variam, bem como as datas de aplicação e o tempo de incubação, que pode ser de 3, 6 ou 12 meses, nos modelos mais recorrentes.

E a 100 Open Startups, é uma incubadora?

Muito embora a 100 Open Startups também ajude empreendedores de todo o mundo a tirar suas ideias do papel e validá-las diretamente com o mercado, ela não se encaixa no conceito de incubadora.

Isso porque a metodologia é embasada por uma plataforma online, onde os projetos são cadastrados e apresentados para especialistas, executivos e investidores de acordo de um algoritmo de matchmaking, que considera os interesses e expertises do avaliador na sugestão de startups.

Esta rede de mais de 10.000 avaliadores é então convidada a deixar uma nota sobre sua percepção do projeto, de A a D, um feedback escrito para ajudar o empreendedor a melhorar seu modelo de negócio, e declarar se possui interesse em continuar em contato com a solução ou não.

As startups que mais se destacam dentro da plataforma são convidadas para eventos presenciais, onde tem a chance de acelerar negociações e oportunidades de venda, investimento e parceria.

Não há, portanto, uma incubação física ou mesmo exclusiva das startups participantes, que podem aplicar suas ideias e soluções a qualquer momento do ano – o fluxo da plataforma é contínuo -, e a seleção é feita apenas para eventos presenciais de acordo com a performance e manifestações de interesse que a startup recebe da rede de avaliadores.

Há, na verdade, uma integração da metodologia com o serviço realizado pelas incubadoras, ambos os modelos sendo complementares: startups que tenham passado por um processo de incubação recebem o benefício do Fast-Track dentro da plataforma, entrando já como Level 2 e sendo apresentadas diretamente para executivos.

Que tal inscrever seu projeto ainda hoje? Acesse https://startup.openstartups.net e cadastre-se.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *