Tudo sobre: Saúde e Bem-Estar

O Brasil tem se mostrado cada dia mais expressivo como player no setor de Saúde e Bem-Estar. Segundo dados do 100 Open Startups, são 504 startups desta vertical cadastradas hoje na plataforma, um aumento de quase três vezes quando comparado com as 185 existentes há apenas um ano.

Em se tratando de um mercado muito focado em P&D, e, portanto, em processos de inovação tradicionais, o crescimento nos cadastros demonstra uma abertura maior para investimento em organizações mais ágeis e sem tanta burocracia. É a troca necessária de ineficiência por tecnologia.

Mas ainda existem grandes barreiras sendo superadas todos os dias. Desde estruturação jurídica, aprovações governamentais, necessidade de grande volume de capital ou mesmo desconhecimento das especificidades do setor, as startups que querem se dedicar a esta área precisam nascer globais e muito disruptivas.

Entre as oportunidades apontadas por 78 grandes empresas para atuação de startups, temos:

  • Novos equipamentos médicos, dispositivos e testes;
  • Soluções que promovam a personalização em massa de diagnósticos (médicos ou cosméticos) e tratamentos médicos. Novas metodologias autodiagnosticas (quantified-self) sobre o estado de saúde, bem-estar e aparência;
  • Internet of Things com foco em equipamentos médicos ou ativos. Sistemas de reconhecimento facial através de câmeras que identifiquem os pacientes; sistema de pulseiras para identificação dos pacientes e correta aplicação de medicamentos rastreáveis;
  • Soluções que ampliem o acesso do paciente ao sistema de saúde e que eliminem as filas para cirurgias no sistema público de saúde e promovam a agilidade não somente em cirurgias, mas também em diagnóstico, marcação de exames, autorizações. Organizações de saúde Lean, com ganhos de velocidade em toda a cadeia;
  • Plataformas tecnológicas e aplicativos que promovam o aumento de produtividade e sustentabilidade das empresas. Sistemas que promovam inteligência analítica e melhoria de processos industriais, de qualidade, logísticos ou de negócios;
  • Novos projetos e serviços que ampliem a experiência de bem-estar dos consumidores com produtos e serviços;
  • Soluções que promovam o maior acesso a novas categorias/padrões de bem-estar com produtos e serviços correlatos;
  • Plataformas de BI; data analytics para diagnóstico avançado ou benchmarking de qualidade entre hospitais, soluções de gestão analítica e preditiva para identificação de problemas de saúde;
  • Inteligência artificial, redes neurais, inteligência cognitiva aplicadas a saúde e bem-estar;
  • Soluções que promovam o abandono do paradigma social de prevenção da doença (medo) para produção da saúde (confiança) do ponto de vista das pessoas e negócios. Serviços que aumentem a aderência efetiva das pessoas para hábitos saudáveis;
  • Serviços que conectem os diversos profissionais de saúde no contexto de saúde das pessoas e promovam a interoperabilidade sistêmica dos players de saúde. Sistemas que conectem e influenciem as pessoas da família e da comunidade com bem-estar comum; intermediários que atuem facilitando/acelerando a interação entre empresas e entidades da cadeia de saúde;
  • Soluções em auto-gestão: plataformas de auto-agendamento online de exames a distância; soluções para melhor auto-gestão da saúde e bem-estar do usuário (prevenção e adesão ao tratamento); portal do paciente;
  • Sistemas de gestão a distância: sistemas com foco nas atividades dos médicos; sistemas que promovam a “desospitalização” (homecare, cuidado a distância, acompanhamento de pacientes pós-cirurgia); soluções que promovam a interação com o usuário com foco na saúde e bem-estar; plataformas de ensino a distância em saúde (médicos, cirurgiões e pacientes); prontuário único; visão única do paciente (interoperabilidade), teleconsulta, teleintervenção e telemonitoramento, telemedicina;
  • Soluções em saúde voltadas a Silver Economy;
  • Equipamentos médicos e de primeiros socorros para atendimento em voos comerciais.

Dentre as startups elencadas no Ranking 100 Open Startups 2017Cuco Health e HOOBOX Robotics são dois ótimos exemplos da relevância do setor. A primeira está no Cubo, espaço para startups do Itaú Unibanco, e a segunda é incubada do JLABs, programa da Johnson&Johnson nos Estados Unidos.

E você, tem uma startup que resolve problemas do mercado de saúde e/ou bem-estar? Inscreva sua solução no 100 Open Startups e comece já a fazer negócios com grandes empresas.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *