Cenário de inovação no Brasil: por que as open startups não param de crescer? 

Confira 5 insights sobre as open startups e o cenário de inovação no Brasil.

O perfil das open startups que mais se relacionam, por meio da open innovation, com corporações tem sido moldado constantemente. E saber quais são as causas por trás do sucesso desses empreendimentos é um dos objetivos do Ranking 100 Open Startups

A partir da coleta de dados sobre a intensidade dos relacionamentos e de como a prática de inovação tem sido adotada pelas open startups, conseguimos saber qual é o perfil das open startups que mais estão gerando negócios e, ainda, quais são as principais tendências no cenário de inovação no Brasil.  

As open startups continuarão em ascensão  

Segundo os dados coletados entre 2016 e 2021, a cada ano, em média 75% mais startups se envolvem com Open Innovation com as corporações no Brasil. A atividade de open innovation entre startups e corporações cresceu mais de 5 vezes desde 2019. Essa intensidade é medida a partir da quantidade e do tipo de relacionamentos registrados e se reflete na pontuação do Ranking.

Em termos da intensidade da atividade de open innovation, observamos que a mesma também vem aumentando 125% ao ano, desde 2016. 

A partir de um ecossistema de inovação cada vez mais consolidado e sustentável, as corporações têm intensificado e posicionado o relacionamento de open innovation com startups como uma estratégia vital de inovação. Por isso, muitas empresas têm apostado na capacitação das equipes para gerar mais valor em suas relações de inovação. Assim, o cenário de crescimento da inovação aberta está longe de um ponto de saturação. Outra prova de que esse crescimento tende a continuar está embasado no número de contratos de open innovation vigentes de uma startup, que cresce a uma média de 55% ao ano, a partir de quando registra seu primeiro contrato para o Ranking.

Open startups e investimentos 

O investimento-anjo e o capital semente são as principais formas de financiamento das startups que fazem open innovation. 

O Ranking 100 Open Startups, por seu formato e metodologia, é focado principalmente nas startups em seus estágios iniciais de desenvolvimento, quando ainda não atraíram atenção específica do venture capital.

Ainda assim, as startups premiadas receberam diversas formas de investimentos, dos quais a predominância é do investimento-anjo ou do capital-semente. A média do investimento recebido entre as startups ranqueadas é de R$ 1,84 milhão.

Se considerarmos todas as startups premiadas no Ranking 100 Open Startups 2021, verificamos que 183 delas (65%) receberam investimentos diretos. Dentre as TOP 100 Open Startups, 70% receberam esses aportes.

Das 100 startups premiadas na primeira edição do Ranking, publicada em 2016: 50 delas continuam ativas; 20 receberam aporte de venture capital posteriormente à premiação; 5 foram adquiridas por outras corporações; 4 receberam investimentos de fundos de corporate venture capital; 2 captaram via plataforma de crowdfunding; 8 atingiram status de scaleup e uma se tornou unicórnio. O total de capital levantado por essas 100 startups no período foi de R$ 2,5 bilhões.

Veja também: Open innovation supera venture capital na geração de valor para startups

Perfil das open startups que mais geram negócios

É muito difícil traçar um perfil específico das “startups campeãs” em open innovation. O campo é vasto demais, com muitas particularidades e uma massa de empresas muito heterogênea. 

Porém, observando as análises sobre os dados do Ranking, que realizou um levantamento com as TOP Open Startups premiadas na edição de 2021,  é possível ver pontos em comum entre as campeãs. 

Apenas a título de ilustração, apresentamos aqui como seria o perfil de uma startup campeã. É importante ressaltar que os itens listados não implicam em uma relação causal, o que ainda não foi analisado. No entanto, é interessante o exercício, por revelar o perfil típico de uma startup que faz bem seus relacionamentos de open innovation com as corporações.

Uma open startup campeã: 

 Tem ao menos 2 fundadores(as), sendo que ao menos um(a) tem experiência prévia na fundação de alguma outra startup.

 Oferece serviços a empresas de diversos setores, aprendendo a se comunicar de forma específica com cada uma delas.

 Identifica-se com categorias de característica mais transversal, como HRTechs, EdTechs, Produtividade, Inteligência Artificial ou Big Data. Ou então especializa-se em uma categoria específica.

 Possui pelo menos 4 anos de existência, modelo de negócio inicialmente voltado para pessoas jurídicas (B2B) e já gera receita, faturando entre R$ 1 e 5 milhões por ano.

 Tem ou está começando a definir sua identificação com causas ambientais ou sociais.

 Tem mais de 11 pessoas na equipe e está em um imóvel alugado, apesar de já ter passado por um espaço de coworking quando tinha estrutura menor.

 Tem contratos de Open Innovation com 21 a 30 corporações diferentes.

Outros insights sobre as open startups e o cenário de inovação no Brasil

O estudo Startups no Brasil e a Open Innovation 2016-2021, realizado a partir dos resultados do Ranking 100 Open Startups 2021, levantou outros insights sobre a prática de inovação no Brasil. 

Abrangência – Todo tipo de startup pode desenvolver relacionamentos de Open Innovation com corporações; 

Relacionamento – As relações de Open Innovation crescem, em número e intensidade, a uma taxa média de 125% ao ano; 

Baixe o e-book e confira todos os insights na íntegra!

 

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.