Diversidade e inclusão: qual a importância para a Transformação Cultural?

Diversidade e inclusão é um tema que tem sido cada vez mais debatido dentro das empresas, e essas mudanças vêm acontecendo por uma série de fatores, desde a valorização de mudanças na sociedade, avanço da tecnologia, passando pela criação de novas leis de inclusão e a busca por soluções inovadoras.

Segundo uma pesquisa realizada pela Accenture, chamada Getting to Equal 2019: Creating a Culture That Drives Innovation, para as empresas alcançarem o objetivo de serem mais inovadoras, é preciso investir em ações estruturantes de diversidade e inclusão.

Isso porque, dessa forma, é possível criar uma cultura de inovação no ambiente corporativo. 

Neste mesmo estudo, outros fatores foram apontados, como: uma empresa inclusiva torna o ambiente mais propício a ter colaboradores mais seguros para propor novas ideias, ou seja, não veem barreiras para propor ações disruptivas. 

Um dado que comprova o fato apontado pelo estudo é que empresas mais diversas têm uma cultura de inovação 600% maior do que aquelas com baixo grau de diversidade. Além disso, mesmo comparadas com organizações de nível médio de diversidade, a cultura de inovação é ainda duas vezes maior nas empresas que têm projetos de D&I.

E para ajudar mais empresas a darem o primeiro passo rumo a uma cultura mais inclusiva, a Blend Edu, startup com foco em inovação para diversidade, atua no mercado para capacitar e mobilizar pessoas dentro das organizações a tirarem as estratégias do papel e colocá-las em prática.

“Diversidade é convidar para a festa, inclusão é chamar para dançar” – Vernā Myers

Por que cada vez mais empresas estão investindo em D&I?

De acordo com uma pesquisa da McKinsey & Company, empresas com maior diversidade de gênero têm 27% mais chances de superar as outras em relação à criação de valor no longo prazo.

Além disso, para startups e empresas que buscam investimento para potencializar o seu crescimento, ter uma estratégia bem definida de diversidade e inclusão tem sido um critério levado em consideração nos aportes dos investidores, como já apontou Larry Fink, CEO Global da BlackRock, a maior empresa em gestão de ativos do mundo.

Esses são apenas alguns dentre os inúmeros estudos que mostram o quanto trabalhar esse tema internamente impacta positivamente a organização, fortalece a imagem e valor institucional, aumenta o retorno financeiro e potencializa a colaboração e inovação das equipes. 

Veja também: 5 passos para implementar a transformação cultural em startups

Colocando a diversidade e inclusão em prática nas organizações

Lideranças de várias empresas já sabem que diversidade é um tema necessário, sustentável e lucrativo, mas, muitas das vezes, não sabem como aplicar essas soluções no dia a dia.

Muitos profissionais, ao se depararem com o assunto pela primeira vez, podem se questionar: por onde começar? Como criar um projeto de diversidade e inclusão na empresa? Como otimizar meu orçamento e investir em ações?

Com o objetivo de apoiar as empresas nesse caminho, como forma de sustentação para o tema, a Blend criou a primeira comunidade empresarial com foco em diversidade e inclusão, chamada Diversidade SA. Um ambiente para impulsionar o benchmarking, a colaboração e aprendizagem contínua sobre temáticas de diversidade e inclusão de uma forma acessível e com baixo custo.

A comunidade Diversidade SA reúne, em um único lugar, várias funcionalidades, como: eventos ao vivo para todos os colaboradores da sua organização, com grandes nomes do mercado — como Rita von Hunty, Emicida e Lázaro Ramos —, trilhas de aprendizagem e cursos online completos para dar suporte no avanço dessa temática, além de apresentações de cases e boas práticas do mercado com empresas que estão em um nível de maturidade mais avançado para D&I.

Fazendo parte da comunidade, as empresas conseguem manter o tema vivo durante o ano todo — por um valor acessível, e ainda de forma colaborativa. 

E é por isso que a 100 Open Startups firmou uma parceria com a Blend Edu, para potencializar ainda mais essas soluções e transformações dentro de mais empresas.

“O que temos observado é que, apesar de grandes empresas já estarem trabalhando com a temática, esse assunto ainda não consegue chegar de maneira tão forte em startups e pequenas empresas espalhadas pelo Brasil. Porém, já sabemos que investidores e stakeholders estão cobrando esse posicionamento das organizações. Justamente por isso, nos juntamos à 100 Open Startups para colocar a diversidade em prática no ecossistema, levando soluções escaláveis e com baixo custo de investimento. Além de trazer inovação para um nicho que, por muitas vezes, pode ser considerado “tradicional” na forma de atuação”, comenta Davi Gelenske, Sócio e Coordenador Comercial da Blend Edu.

Quem é a Blend Edu?

Transformar organizações ao potencializar a diversidade. Esse é o grande propósito da startup Blend Edu, que desde 2018, vem atuando dentro das empresas com o objetivo de criar pontes para um futuro mais plural e inclusivo.

A organização cria projetos, treinamentos e soluções para impulsionar uma transformação cultural, sendo que já cocriaram com empresas como TIM, Grupo Boticário, Embelleze, Cielo, Dasa, Globo, entre outras.

A Blend atua por meio de diversos pilares, dentre eles, projetos de diagnóstico e consultoria estratégica, cursos, palestras, workshops, além de experiências sensoriais e imersivas para sensibilização das equipes.

Saiba mais sobre a startup neste link ou envie uma mensagem para o e-mail: contato@blend-edu.com.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.